Racismo Ambiental: Desafios e Ações Urgentes Diante da Crise Climática

O conceito de racismo ambiental não é novo, nem tampouco uma invenção da ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco. Diante da tragédia ocasionada em decorrência das chuvas que atingiram o Rio de Janeiro no último final de semana, ela alertou, em post no X, para a importância de tomarmos medidas que façam frente aos efeitos das mudanças do clima. A Plataforma CIPÓ está envolvida nesse debate desde a sua fundação, em 2020.

Cunhado há mais de 40 anos pelo ativista estadunidense Benjamin Chavis, o termo se refere a uma realidade inegável: a de que pessoas negras e periféricas são desproporcionalmente afetadas pela degradação do planeta. Em sentido mais amplo, ele descreve as relações ecológicas desiguais entre o Norte e o Sul Global, em uma associação ao colonialismo, ao neoliberalismo e à globalização.

Por isso, desenvolver respostas eficazes para os desafios emergentes da crise ecológica, com especial atenção ao racismo estrutural que fundamenta a elaboração de políticas públicas ambientais urbanas, tem sido uma das principais preocupações da CIPÓ.

Em parceria com o LabJaca, um laboratório de dados e narrativas sobre favelas e periferias com sede no Rio de Janeiro, realizamos em 2021 o projeto “Ampliando vozes: combatendo o racismo ambiental e climático em espaços urbanos”, apoiado pela Fundação Heinrich Böll. A colaboração resultou na elaboração de uma série de conteúdos audiovisuais sobre esse tema urgente.

Abordamos a campanha em um artigo no Le Monde Diplomatique, destacando as dimensões do racismo ambiental e climático enfrentadas por moradores do Jacarezinho, de Manguinhos e da favela da Cachoeirinha (RJ).

Em maio de 2023, endossamos, junto a outras 140 organizações da sociedade civil, uma carta cobrando do poder público e do setor privado políticas climáticas e urbanas antirracistas.

No documento, entregue ao Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima (MMA), lembramos que estamos vivendo no país desigualdades sociais e territoriais decorrentes dos impactos e efeitos do aquecimento do planeta em 1,1 ºC.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário!
Por favor, insira aqui o seu nome