Redes e Campanhas

REDES:

Rede pela Eficácia de Operações de Paz (EPON)

A CIPÓ faz parte da Rede pela Eficácia de Operações de Paz (Effectiveness of Peace Operations Network – EPON), uma rede de mais de 40 organizações da sociedade civil que realizam pesquisas conjuntas sobre a eficácia das operações de paz e, de forma mais ampla, sobre a gestão contemporânea de conflitos ao redor do planeta. A EPON realiza trabalho de campo e pesquisa documental para publicar relatórios e artigos sobre as missões de paz, missões políticas especiais e de consolidação da paz em contextos afetados por conflitos.

Weathering Risk

A CIPÓ faz parte, através da sua Diretora Executiva, Adriana Erthal Abdenur, do Conselho Consultivo Estratégico da Iniciativa Weathering Risk, lançado em 2020 pelo Ministério das Relações Exteriores da Alemanha, a Adelphi e o Potsdam Institute for Climate Impact Research (PIK). O objetivo da iniciativa é consolidar o conhecimento existente sobre os impactos das mudanças climáticas na segurança internacional, permitindo identificar maneiras de lidar com os riscos de segurança e clima ao redor do globo.

Urban Violence Research Network (UVRN)

As co-fundadoras da CIPÓ, Adriana Erthal Abdenur e Maiara Folly, são membros da Rede de Pesquisa sobre Violência Urbana – Urban Violence Research Network (UVRN), uma rede global e interdisciplinar composta por acadêmicos e pesquisadores que trabalham com temas relacionados à violência urbana. O objetivo da UVRN é conectar pesquisadores, organizar workshops, criar oportunidades de colaboração entre os membros da rede e aumentar a visibilidade do trabalho de seus membros.

Rede pela Inovação da Governança Global (GGIN)

A Plataforma CIPÓ, junto com o Stimson Center, o Conselho Acadêmico sobre o Sistema das Nações Unidas (ACUNS) e a Universidade de Leiden, lidera a Rede pela Inovação da Governança Global (Global Governance Innovation Network – GGIN), que reúne acadêmicos, pesquisadores e representantes da ONU, do Sul e Norte Global, para abordar os principais desafios e oportunidades para a governança global. A rede se concentra nas seguintes áreas temáticas: Recuperação Pós-Covid 19 e o futuro da governança econômica e social global; Reavaliação da abordagem da ONU para a Paz e Segurança e a Ação Humanitária; Fortalecimento dos Direitos Humanos, da Governança inclusiva e baseada em regra e da Governança Climática.

Rede do Comitê de Capacitação de Paris (PCCB)

A Plataforma CIPÓ é membro da Rede do Comitê de Capacitação de Paris (Paris Committee on Capacity-building Network – PCCB), que reúne atores engajados com capacitações relacionadas ao clima para promover o intercâmbio de conhecimentos e boas práticas com o objetivo de aumentar a coerência e coordenação nos esforços de capacitação para a ação climática. A rede atua sob a égide da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (UNFCCC), incluindo o Acordo de Paris.

Southern Voice

A CIPÓ faz parte da Southern Voice, uma plataforma de think tanks que busca promover o diálogo global sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). A missão do Southern Voice é reduzir a atual ‘assimetria de conhecimento’ e ‘déficit de participação’ nos debates globais sobre o desenvolvimento por meio da promoção e disseminação de análises e políticas públicas baseadas em evidências propostas por pesquisadores de países do Sul Global.

CAMPANHAS:

Together First

A CIPÓ faz parte da campanha Together First, um movimento crescente de cidadãos globais, especialistas, profissionais, ativistas e líderes empresariais de todas as regiões do mundo que estão empenhados em transformar em realidade ideias e propostas inovadoras para a governança global. Por meio da Together First e de seu trabalho junto ao sistema das Nações Unidas, a CIPÓ trabalha de forma a desenvolver e propor soluções aos riscos globais contemporâneos e para mobilizar indivíduos, ONGs, governos e empresas a implementar respostas eficazes.

Stop Killer Robots

A CIPÓ é membro da Campanha para Parar Robôs Assassinos, que tem como objetivo e o uso de armas autônomas letais, capazes de selecionar e disparar contra alvos sem supervisão humana. Armamentos totalmente autônomos não podem ser legalmente responsabilizados por assassinatos e violações de direitos humanos cometidos através do seu uso. Além disso, governos poderão iniciar guerras mais facilmente caso possam substituir tropas por armamentos que agem de maneira autônoma. Por isso, a CIPÓ trabalha para que os Estados, incluindo o Brasil, apoiem um tratado internacional que proíba que a decisão sobre quem deve morrer ou sobreviver seja delegada a máquinas.

Jovens Políticos Pelo Clima

A CIPÓ endossa a iniciativa Jovens Políticos Pelo Clima, um manifesto climático suprapartidário, elaborado coletivamente por jovens lideranças e especialistas engajados na pauta do clima. O manifesto propõe uma reflexão e um chamado para ação frente à insustentabilidade do modelo de cidade que se tem produzido ao longo das últimas décadas no Brasil, buscando reforçar o compromisso da juventude em desenvolver políticas públicas voltadas a tornar cada município brasileiro mais resiliente, justo e equitativo.

Chagas do Garimpo

A CIPÓ é membro da campanha Chagas do Garimpo, que tem por objetivo construir uma incidência coletiva de combate ao garimpo ilegal, olhando para as frentes de atuação necessárias para a construção de cobertura política para destravar mecanismos de proteção a comunidades tradicionais e estímulo a atividades que conservem o bioma amazônico e garantam o bem-estar das populações locais. Através da campanha, a CIPÓ busca colaborar para criação de apoio contra o garimpo em terras indígenas, evidenciando o quanto a atividade está ligada a impactos na saúde das populações locais, violência e desigualdade social e, a partir disso, mobilizar públicos estratégicos para que pressionem tomadores de decisão a se manifestar contra a mineração em terras indígenas e comunidades tradicionais.

Últimos artigos