Em livro, CIPÓ e FUNAG apontam caminhos para Brasil ambientalmente responsável e justo

A Plataforma CIPÓ e a Fundação Alexandre de Gusmão (FUNAG) lançam nesta segunda-feira (1° de julho), em cerimônia no Rio de Janeiro, o livro “Política externa brasileira e clima: caminhos para um Brasil ambientalmente responsável e socialmente justo”. A obra, organizada por Maiara Folly, Marília Closs e Vitória Gonzalez, conta com prefácio da ministra dos povos indígenas, Sônia Guajajara, e apresentação de Antonio de Aguiar Patriota, ex-ministro das Relações Exteriores e atual embaixador do Brasil junto ao Reino Unido.

Composta por 11 capítulos escritos por pesquisadores da CIPÓ, a publicação destaca os caminhos para que a política externa brasileira assuma a liderança na construção de um Brasil, uma governança global e um mundo mais democráticos, ambientalmente responsáveis e socialmente justos. O lançamento acontece às 17h (horário de Brasília), no Hilton Copacabana, durante a Conferência Midterm do T20 Brasil

Além das organizadoras, o painel de lançamento terá a participação da embaixadora Márcia Loureiro, presidente da FUNAG, de Adriana Abdenur, assessora especial do Presidente da República, Mariana de Paula, co-fundadora e diretora de operações do LabJaca, e Nayra Kaxuyana, assessora técnica internacional do Ministério dos Povos Indígenas.

“Ao enxergar a cooperação internacional como uma ferramenta indispensável para a promoção de transições ecológicas justas, soberanas e equitativas, a obra destaca oportunidades para o fortalecimento da agenda climática nas relações entre o Brasil e países, blocos, organizações e regiões estratégicas”, comenta Maiara Folly, diretora-executiva da CIPÓ.

O livro também examina a trajetória do Brasil no contexto do regime climático global, buscando extrair lições que possam orientar a condução eficaz e inclusiva da COP30, a 30ª Conferência das Partes sobre Mudanças Climáticas, que será realizada em Belém, capital do Pará, em 2025. “Desde a Rio-92, passando pela Rio+20 até Belém, o objetivo desta obra é contribuir para uma construção estratégica internacional voltada à promoção da ação climática e do desenvolvimento sustentável”, complementa Folly.

Sônia Guajajara enfatiza a importância de uma diplomacia que centralize o combate às desigualdades enquanto promove a ação climática e a preservação da biodiversidade. “Isso exige coerência tanto do ponto de vista doméstico quanto da atuação do Brasil no âmbito de suas relações bilaterais, regionais e multilaterais”, afirma a ministra.

Os capítulos do livro abrangem uma ampla gama de temas, incluindo a transformação da ordem global e suas implicações para a política externa brasileira, a formulação de uma transição justa e equitativa, o papel do G20 e das instituições de Bretton Woods no financiamento climático, a trajetória histórica da política externa brasileira desde a Rio-92 até a COP30, e a cooperação Sul-Sul em clima e meio ambiente, com destaque para os blocos IBAS, BRICS e BASIC e a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA). 

A publicação aborda, ainda, os caminhos para a integração sustentável e soberana da América Latina e do Caribe, entre outros tópicos cruciais para a agenda climática e ambiental.

Plataforma CIPÓ
Plataforma CIPÓhttps://plataformacipo.org/
A Plataforma CIPÓ é um instituto de pesquisa independente liderado por mulheres e dedicado a questões de clima, governança e paz na América Latina e no Caribe e no resto do Sul Global.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário!
Por favor, insira aqui o seu nome

Artigos Relacionados

spot_imgspot_img

Sigam-nos nas Redes Sociais

Últimos Posts