‘Robôs assassinos’: o perigo das armas autônomas letais

Em artigo para o Nexo, a Diretora de Programas da CIPÓ, Maiara Folly, faz um alerta para o perigo das armas autônomas letais: desde potenciais violações do direito internacional humanitário, até os problemas relacionados a algoritmos enviesados, ciberataques e a incapacidade de responsabilização legal pelo uso inadequado dessas armas.

O desenvolvimento de sistemas de armas autônomas letais, capazes de selecionar e disparar contra alvos sem intervenção humana, não é uma realidade distante. É urgente discutir os riscos que essa tecnologia representaria em situações de conflitos armados, mas também no contexto de atividades de policiamento. 

Segundo a mais recente pesquisa de opinião sobre o tema, 62% de 19,000 entrevistados em 28 países se opõem ao uso de armas autônomas letais. O Brasil foi o país onde a oposição contra essa tecnologia mais cresceu desde 2018 (62% dos brasileiros se opõem, um aumento de 16%).

A ‘Campanha Para Parar Robôs Assassinos’, da qual a Plataforma CIPÓ é membro, pressiona pela criação de um tratado internacional que proíba armas autônomas letais e estabeleça limites legais e humanitários para essa tecnologia.

Plataforma CIPÓhttps://plataformacipo.org/
A Plataforma CIPÓ é um instituto de pesquisa independente liderado por mulheres e dedicado a questões de clima, governança e paz na América Latina e no Caribe e no resto do Sul Global.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe o seu comentário!
Por favor, insira aqui o seu nome

Artigos Relacionados

spot_imgspot_img

Sigam-nos nas Redes Sociais

Últimos Posts